Os Grandes Mestres Guardiões da Cidade de Deus

Por sua escritora Valéria Barbosa

Os Grandes Mestres Guardiões da Cidade de Deus – Fazedores de destino, é um livro que surge a partir de uma monografia do curso de Gestão Pública de Cultura ministrada pelo ComCultura/UERJ em 2010. A pesquisa monográfica com o título Saber e Poder- Esticando Limites, teve como orientador o Professor Adair Rocha.

 

Escolhi para tema desta monografia falar sobre a influência positiva do idoso da Cidade de Deus na minha vida e de demais amigos que vieram morar nesta comunidade no final dos anos 60.

Relata a Influência do idoso na vida da criança tendo como ambiente para pesquisa a Casa Emilien Lacay/Cruzada do Menor- Em 1995 comecei a perceber que as crianças gostavam das músicas que os idosos cantavam e das histórias que contavam. Desta experiência implantei na instituição Cruzada do Menor a metodologia sócio intervencionista tendo como base projetos socioculturais. Os temas emergiam deste encontro diário dos idosos com as crianças. Por conta desta experiência prática fui buscar na academia embasamento teórico para dar continuidade a esta mudança e a fazer ser reconhecida como um produto que emergia deste encontro intergeracional.

Percebi que estava preservando a cultura do nosso país, resgatando a memória trabalhando com temas onde a vida de personalidades da música, literatura e artes plásticas eram/são repassadas para as crianças, idosos, jovens e famílias.

A prática surgiu antes do conhecimento teórico, porém a prática foi facilitada pelas interferências que haverá experimentado no passado, na infância. Desta forma o livro surge desta pesquisa que iniciou em 1995 e que foi chancelada em 2010 pela aprovação da monografia.  

As histórias dos mestres são contadas de forma lúdica. Não busquei fazer uma biografia, e sim sinalizar o saber destes Mestres. Resgatei elemento interessante da vida cultural destes idosos para compor as histórias.

O objetivo deste livro é despertar o respeito e o cuidado com a pessoa idosa.

Decidi fazer este livro por ter um compromisso com a minha história que está imbricada na daquelas pessoas, a produção é independente. Quis dar este presente para aqueles que conseguiram fazer de mim a profissional e pessoa que sou hoje.

Pessoas que se destacaram e me fizeram prestar atenção nelas. Vó Zefa do Orfanato São José, que criou mais de 620 crianças, o primeiro programa social da comunidade; dona Obassy com a sua postura majestosa passando pelas ruas da Cidade de Deus, poetisa, cantora e atriz; Sr Alfredo com a sua participação junto ao padre Júlio nas missas, nos cursos de violão no repente; dona Jandira Tavares com a catequese e o teatro e o repasse cultural para as crianças; dona Therezinha com sua costura, artesanato e compromisso com o empreendedorismo jovenil; dona Benta com o empreendedorismo de mulheres e jovens, participante do fome zero, além do gosto pelo jongo; Mestre Miúdo com a sua Folia de Reis; Mestre Derli e a capoeira educando jovens e crianças; o  Sr Severino Gomes e o compromisso social com o Fome Zero, transformando a sua birosca mo Centro Cultural Tupiara; Tuca ou Anhaíde com a beleza de sua voz, quadros e apresentações e o grande compositor Ovídio Bessa.

Pessoas comuns e com um potencial rico, guardado no baú do tempo, só foi destrancar este baú para que estas histórias criassem vidas.

Sou fruto da Favela da Praia do Pinto. Vim para à Cidade de Deus em um caminhão de lixo junto com minha família, porém aprendi a reconhecer o valor ali, junto a minha comunidade,  os meus vizinhos e hoje reconhecidamente Mestres, me tornaram uma mulher comprometida com as pessoas e principalmente com o idoso e a criança.

Quanto ao professor Adair Rocha entrou em contato comigo mostrando o desejo de trazer para a Cidade de Deus a discussão do seu livro Cidade Cerzida. Pedi ao Severino Honorato, poeta e repentista, meu amigo, para me ajudar a encontrar um espaço e assim foi feito. No dia 18 de agosto de 2012 tivemos a felicidade de acolher a discussão sobre o cerzimento desta Cidade. Tendo como mediadores da discussão a Cilene Regina Vieira da Cruz, Assistente Social e moradora da Cidade de Deus e o Sr. Écio Sales coordenador da FUPP.

Esta roda de conversa foi no Centro Cultural da Cidade de Deus, a equipe liderada pelo irmão Anderson Augusto Pereira prepararam a acolhida para o professor Adair Rocha, e demais convidados com muito carinho e cuidado, foi percebido os detalhes nesta preparação demonstrando uma característica do local, o acolhimento e o afeto.

O que tem de comum no meu livro Os Grandes Mestres Guardiões da Cidade de Deus – Fazedores de Destino e o livro do professor Adair, Cidade Cerzida, além de participação do professor Adair Rocha no meu, é o compromisso de entender a identidade cultural que norteia nossas vidas.

Os Grandes Mestres Guardiões da Cidade de Deus é um pedaço cerzido por mim na Cidade de Deus da colcha de retalhos da Cidade Cerzida pelo Adair Rocha.

Para quem desejar o livro Cidade Cerzida, basta procurar o Centro Cultural da Cidade de Deus.

Quanto ao livro Os Grandes Mestres Guardiões da Cidade de Deus- Fazedores de destino, basta escrever para valcdd@hotmail.com, envio para qualquer lugar por correio ou ligue para tel (21) 78997294.

Podendo ainda adquiri-lo com Cilene Regina na Cidade de Deus.

 

"Como me sinto por mnha mãe ser eternizada neste livro?

Cada dia que passa fico mais convencida da importância de minha em ser a mulher que sou.
Sinto-me feliz por ter a mãe que tive, ainda mais que todos saibam a pessoa maravilhosa que ela foi.
Sempre se preocupando c/ os problemas de sua casa e de sua comunidade. Sempre arrumando um jeito
de reverter tais situações, dando suas opiniões, participando de encontros c/ instituições p/ solucionar ou amenizar
as problemáticas. Com isso, cada dia me fortaleço reproduzindo o que minha mãe sempre acreditou, a riqueza de valores que a Cidade de Deus tem e divulgarmos de todas as formas p/ o mundo." Cilene Vieira

 

Lançamento de Cidade Cerzida

Valéria Barbosa e Adair Rocha no lançamento do Livro Cidade Cerzida

Compartilhe: 
Slideshow: 
0
Instituição: 
Jornal ANPQV